6.5.11

Ebateca Pituba

Prezado Anderson, bom amigo, obrigado pela visita em ‘Coisa nossa’. Para deixar sua opinião, na próxima interferência, eu gostaria que você informasse, se se trata do seu pensamento ou da Avape, sob as ordens da coligação que chefia o governo de Araçatuba.

Agradeço de coração o alerta, mas não “ando lendo muito a Folha da Região”, na verdade eu só leio a FR. O seu chefe falou: “O PT não ganhou as eleições aqui”, sem explicações. A coligação que disputou as eleições para prefeito nunca me preocupou.

Fiquei decepcionado com o apoio, incondicional do prefeito, ao vice-prefeito, àquele que quando vocês citam o nome de um, por obrigação, citam o do outro; bacana? O salto alto de quem manda e não pede e a prepotência enquadrando e excluindo petistas da administração, por apoiarem os candidatos a deputados do Partido dos Trabalhadores PT, em detrimento do candidato, chapa branca, de um partido estranho.

A executiva do partido fez o quê?
Quando escrevi sobre estrutura e conjuntura, não me referi às questões geográficas; você foi mal. Falei do poder político conservador. Falei do malulysmo que não acabou, e que estará de volta; dos tucanos que desconstruíram o sonho do executivo e de seu candidato a deputado abrindo um espaço que não tinham, e hoje a conjuntura está assando a batata da reeleição, “o pessoal do PSDB comemora”.

A relação, apresentada por você, dos feitos do prefeito, em 28 meses de governo, é modesta. O Plano de Governo proposto em 2008 está superado. Quantas impugnações, e porque, foram feitas na apresentação das mais diferentes licitações? Essa é a relação que você poderia apresentar para debates à diretoria municipal do partido, mas você não teve coragem de se filiar ao PT. No PT tudo deve ser debatido à exaustão.

O balé municipal de uma pequena cidade, com vice-prefeito do PT, saiu de 80 para mais de 2 mil alunos inscritos, estudando e dançando num lindo teatro (aqui falam de 100 para 400 sem palco). É a importância da cultura na publicidade gratuita de um governo inteligente. Na foto acima a Academia Ebateca Pituba de Salvador/BA num grande palco municipal.

O meu compromisso político é com as teses do PT. Nunca serei a favor do poder, apenas, pelo poder. Não existe um partido petista do passado e outro do presente. O PT não muda. O ser humano muda. Não espere muito da Reforma Política, coisa que você não entende; essas nossas propostas petistas são ‘antigas’.

Prezado Anderson: Se você fosse um operário de jornal e não assessor de imprensa, certamente, o seu olhar para as empresas de comunicações seria outro. A Folha da Região é uma empresa privada, legalizada e por direito, livre para expressar-se.

Ninguém pode exigir o conteúdo jornalístico segundo seus interesses. Quem estabelece o conteúdo são os funcionários que organizam a pauta. Para seu consolo meu caro Anderson, é melhor que o jornal fale mal do que omitir-se ou ignorar os fatos governistas.

A manchete é um chamamento importante para vender jornal na banca. O mancheteiro tem que saber criar o titulo para fisgar o leitor. A notícia é o produto oferecido pelo jornal que disputa o mercado de informação num sistema capitalista supostamente democrático.

Aqui tens um bom exemplo: “Tribunal manda prefeito explicar contratação de empresa do lixo. A3”. É linda; né, não? Por isso “leio muito a Folha da Região”.

Problema explicado? Assunto liquidado!

Foto: Academia Ebateca Pituba (Salvador/BA) - http://1.bp.blogspot.com/_MmVpUg0wj-E/TKSSUVD14AI/AAAAAAAAASw/62Dp_-qBV8k/s320/Foto+Revista+Danca+Brasil.jpg Texto readaptado 2832

0 comentários: