30.6.11

Escondidinho

À tarde um frio indesejável, não apenas para quem o detesta, até para quem diz que gosta. O carteiro, enfrentando a geada, chegou de bicicleta com algumas cartas; O atrevido queria saber do conteúdo da missiva, um cartão do presidente do legislativo.

Pela internet, até o chefe da polícia me felicitou.

Precisamos comprar as coisas! Diz a dona da casa, prosseguindo, instruiu: Encomende por telefone ou vá comprar no mercado: vinho, cervejas e guaraná Paulistinha diet. Na padaria encomende um pouco de doces e salgados. Volte logo para fazer o bolo.

Era meu aniversário. Tudo íntimo, entre mim, minha esposa, nossa cunhada e as duas filhas.

Retornando com os ingredientes do bolo e com as bebidas liguei à padaria:
− Quem fala?
− Renato!
− Saudações corintianas Renato (cinco a zero)...
− O que o senhor manda seu Picasso?
− Um pouco de doces e salgados para uma mesa de aniversário: Brigadeiro, Nozes, Bicho de Pé, Bem Casado, Cajuzinho, Beijinho, Olho de Sogra, etc. Capricha o presidente da câmara mandou cartão.
− Só isso?
− Não. Há um tipo de salgado que a mulher faz questão de servir. Não sei bem o nome, deve ser, ‘escondido’.
− Escondidinho...
− De vereador!
− O que?
− Isso mesmo: Escondidinho de vereador! Manda uma forma.
− Seu Picasso, presta atenção, não é isso não: É escondidinho de carne seca!
− Tudo bem, manda isso mesmo.

A nossa cabeça com 7.2 deste de 39, lá pelas tantas, mistura tudo. A igreja faz plebiscito do Saco de Dinheiro, o vereador vota pra tirar a diferença que o juiz apitou 12, o líder da bancada sem dar satisfação escondeu o resultado do padre, quer 19. Enquanto isso, em Araçatuba, falta água no feijão; Santo Daea? E a Folha da Região, “culpada de tudo”, quer saber por que, três vereadores fugiram com a Ficha Limpa! Política municipal é porta de hospício. Tá louco?

Comovido, lembrei-me do menino que deixou um Saco de Dinheiro na porteira do legislativo.
Coisas da idade. Sabe como são os ‘aborrecentes’; Radicais e querem justiça, doa a quem doer!

Vou dizer a ele que a interpelação imposta pela presidência da câmara pode ser revogada. O vereador estava magoado, de saco cheio, foi apenas uma decisão emocional. Certamente, o tal edil *“está se guardando pra quando a eleição chegar”. Do meu lado: *“eu tô só vendo, sabendo, sentindo, que ele vai perdoar” – não perca a fé, nem o título de eleitor, menino. Um dia você ainda vai receber um cartão igual ao meu, do presidente, por conta da casa.

O carteiro não arredava, queria porque queria, e fim:
− Rasga logo esse envelope, enfezado diz ele.
− Abri a carta: Uma foto, ao fundo um pacote com laços vermelhos, ladeado pelo gargalo de uma garrafa de champanhe Veuve Clicquot Ponsardin, e à direita, a imagem chique de Cido Saraiva ‘vereador’. No texto os seguintes versos: “O ser feliz está sempre em nossas mãos. O surgir de cada dia vem sempre com uma nova mensagem de esperança, Feliz Aniversário”. O carteiro quase chorou, pedalando rumo oeste, voou fumaceando bafo.

Ventura Picasso – Cia dos Blogueiros
2454. *Chico Buarque.
Foto - http://3.bp.blogspot.com/-AzSKaMn3fbM/Tawb26EnZgI/AAAAAAAAADw/uGqX34zgs50/s1600/el-secreto.jpg

8 comentários:

Kelly Christi disse...

Achei interessante o jogo de duplo sentido que fez no texto com o "ESCONDIDINHO", COMIDA/ POLITICA, a linguagem tem essa coisa maravilhosa de fazer a gente pensar mesmo com preguiça, é como o próprio sentido da felicidade... em nossas mãos? mesmo?

desculpe a demora pra responder o comentário, eu andava por ai na faculdade, enfim, respondendo sua afirmação:

quando eu digo lá que o amor pdoe deixar de ser simples e lear alguám á Lacan, é que ele pdoe deixar de ser simples, tornar-se loucura e levar laguem a psicanalise, mas nao quis citar noss velho Freud que é o pai dessa questão, afinal já tem um post que faço citação dele... rs enfim, volte mais vezes se quiser, é interessante saber a visão das pessoas sobre as crônicas. Abraço.

Ventura Picasso disse...

Oi Kelly,
Vc tem razão - qnd a pessoa amada abandona o amado apaixonado(rsrs), pode virar trajédia.
abração.

Rita Lavoyer disse...

Olá, Pikachu!
Cidadão gente fina é outra coisa, cara!
Ainda bem que você não é um mero cidadinho, amigo de Cidinho, mas bem parece ser amigão do Cidão.
Cuidado para não 'cidanar' , porque quando 'cidão' bem, até escondidinho o negócio dá certo, mas... 'cidão' mal, hum... eca! até escondido o saco cheira.
E quando puxa muito o saco é sinal que quer mais coisa daí, Pika chu.

Ventura Picasso disse...

Rita: Até penso que "cidanei", rsrsrsrsrsrsrsrsr
Só vc.

Cidadão Araçatuba disse...

Que chique heim!
Do presidente que não sabe para que serve o plural?
É por isso aliás que não existe "pluralidade" na câmara, rs...,

Agora quanto ao escondidinho Picasso, come-se quente viu! Depois que esfria fica muito ruim, aí meu amigo, só serve para o saco(de lixo).
Abraço!

Ventura Picasso disse...

Não seja preconceituoso, Cidadão. Eu não me referi a um presidente específico. Mas, desde Deodoro, nada mudou - Quem colocou o país no mapa econômico mundial é uma figura singular, rsrsrs - Eu gosto e até sinto orgulho do Brasil atual.

Elaine Crespo disse...

Olá Picass!

Boa noite

Realmente adoro estes teus posts, tenho um carinho muito grande por você. Sempre gentil e simpatico em lidar comigo.

Fiquei emocionada como carteiro em ver o que tinha escrito no cartão. Uma verdade imbativel.

Ontem minha filha fez 15 anos e eu ainda estou sobre o efeito da data e da viagem que ela fara nestes dias.

Aqui no NE Escondidinho" é um prato feito com pure de macaxeira e carne de charque. Gratinado no forno!

Um beijo grande desta sua adimiradora!

Elaine Crespo

Ventura Picasso disse...

Parabens à sua filha - agora começa aquela história dos 15 anos: - Cuidado; Volta logo; Juízo...

Aqui no NO SP, o escondidinho é feito com pure de mandioca e carne seca e gratinado... rsrsrsr
(Tradução: macaxeira = mandioca + carne de charque = carne seca)
bjs