2.8.12

Contos Perversos

RESENHA

Participando da vida em sua totalidade, através da literatura, por textos eróticos de amor e ódio, de prazer e dor, com fé no monoteísmo sexual na hora exata do orgasmo, de alegria e tristezas descobri em ‘Contos Perversos’ a perfeição libertária provocada pelos “27 guerreiros, irrequietas almas, que se escondem” dividindo suas 178 páginas.

O prefácio, Em Fermentação, de Aninha Franco, seduz qualquer leitor que tenha um mínimo de conhecimento dos protagonistas que conviveram com Lou Salomé. Na página 15, nos traz um trecho de ‘Cartas a um Jovem Poeta’, de Rilke, sobre o interesse principal da missiva: ― Meus textos são bons?

Aqui a escritora, respondendo ao pedido dos escritores de ‘recomendá-los‛ (textos) aos leitores, delicadamente comenta: “... essa gente jovem talentosa que escreve bem continua tentando preencher o winchester semivazio da memória brasileira, é sinal de que a nova ordem continua ‘Em Fermentação‘. É o que importa”.

Rilke respondeu a Franz Kappus: “Pergunta se os seus versos são bons. Pergunta-o a mim, depois de tê-lo perguntado a outras pessoas. Manda-os a periódicos, compara-os com outras poesias e inquieta-se quando suas tentativas são recusadas por outro redator (ninguém o pode aconselhar ou ajudar)”.

Foi muito feliz a baiana Aninha, escritora e teatróloga, ao abrir o prefácio desta obra lembrando a Carta de Rilke. Essa geração de artistas modernos do século XIX que tiveram seus caminhos cruzados, de certa forma, aglutinados ao redor de Salomé, contribuiu definitivamente para o avanço da literatura e da psicanálise contemporânea – Nietzsche (1844); Paul Réé (1849); Freud (1856); Salomé (1861) e Rilke (1875).

Escolhi o conto de Ana Lúcia Merege, para representar todos os escritores e textos. Descrever sobre todos os textos é impossível. A coletânea é maravilhosa. Especialista em ficção medieval publicou: O caçador e O jogo do equilíbrio, além de vários artigos e do ensaio Os contos de fadas: Origens, história e permanência no mundo moderno, anima o blog ― A estante mágica de Ana – http//:www.estantemagica.blogspot.com.

Contos Perversos 1, da coleção Literatura Clandestina, organizado por Elenilson Nascimento nos contempla com a belíssima obra de Ana Lúcia: A senhora do amor e o herói trapaceiro. Essa narrativa trata de um roteiro facilmente identificável em dois pontos importantes: a) O vocabulário, nos transporta, sonhando, à uma realidade medieval. b) Trata-se de um texto erótico contado por Belle, uma jovem mulher interna em um convento. Seu interlocutor oculto, Esquerdo são vozes que determinam suas ações.

O erotismo explorado por uma escritora sempre desperta, entre machistas masculinos ou femininos, a libido dos leitores, que passam a andar, passo a passo, com a autora. Em outros momentos como voyeur observando às travessuras de Belle, quando olhamos pelo buraco da fechadura o olho mágico de ontem o mesmo de hoje, toda a trama. A coragem de criar e escrever sobre relações pessoais, até hoje, gera questionamentos dos mais variáveis. Num passado não muito distante a mulher escrevia e falava com a boca do homem. A inquisição não perdoava.

“Era apenas um jovem moleiro da vizinhança, e não tínhamos trocado mais do que alguns beijos no jardim do convento, mas elas o assustaram tanto com seus gritos e ameaças que ele prometeu casar-se comigo. Tentei explicar que não era necessário, mas ninguém me deu ouvidos, e as irmãs acrescentaram tanto aquilo que tinham visto que meus pais aceitaram o pedido do rapaz.”

O título soa como uma manchete de primeira página de jornal. O conteúdo literário atende religiosamente ao chamado: “Contos Perversos”. Lendo alguns dos textos distraidamente começamos a imaginar a reserva ética, moral e psicológica da paróquia e de cada autor. São, absolutamente, contos perversos. Não cabe uma análise do comportamento desses escritores. Mas, nessa coleção, amigos; só entra se for perverso. Boa leitura...


O livro pode ser encontrado com: elenilsonascimento@ig.com.br; http://literaturaclandestina.blogspot.com


Ventura Picasso – Cia dos Blogueiros

7 comentários:

Célia Rangel disse...

Interessante resenha "Contos Perversos". De certa forma um relato da atualidade com todas as suas nuances perversas.
[ ] Célia.

Elaine Crespo disse...

Olá Ventura

Bom dia

Adorei a resenha do livro que me pareceu muito interessante. Aliais, você escreve sobre ele e uma forma tão terna que me deu vontade de ler!
Vou procurar no blog onde encontro!

Nunca mais vi você online e a culpa é minha ando afastada daqui e desmotivada em postar!

Mas quando leio um post como seu me vem a lembrança de como é gostoso postar sempre e ver resultados positivos de nossos leitores!

Saudades de você, virei mais aqui.

Um abraço e beijo da amiga

Elaine Crespo

Ventura Picasso disse...

Oi Célia
Gostei muito dessa obra - não é propaganda -
Na página 116 encontramos o seguinte:
-"Qualquer jovem de 20 anos, se sentiria à vontade em Salvador. A capital baiana é um dos lugares mais bafejados pelo sopro da liberdade dos costumes. Entre outras coias, pode-se comprar drogas em qualquer lugar, a prostituiçãp é tratada de maneira desordenada, mas muito mais organizada que as filas de obreiros em igrejas evangélicas".
Muito perverso... Kkkkkkk
grande abraço e muitos bjs

Ventura Picasso disse...

Olá Elaine
Fiquei preocupado com sua ausência. Fui excluído da rede um bom tempo. Querem acabar com a minha liberdade de postar. Quase perdi tudo e até o PC. Como brasileiro não desiste nunca, ainda pretendo escandalizar muitos intrusos.
Minha boa amiga finalmente vc apareceu!
Esse "Contos Perversos" é ótimo. Os escritores se ocuparam de acompanhar o título e foram fundo.
Na pg 158:
-"E o pior de tudo, é que a miséria e desgraça são como enormes esferas magnéticas, atraindo a cada vez, mais podridão e imundices. E Aline estava comprovando esta verdade em sua própria pele e em seu frágil corpo. Alguns meses depois de sofrer o estupro, ela começou a sentir os primeiros sinais de sua gravidez".
Grande abraço!

Ventura Picasso disse...

Elaine o endereço
Em tempo
Para encontrar o livro faça contato com o professor e escritor Elenilson Nascimento:
elenilsonascimento@gmail.com

Rita Lavoyer disse...

Bom, esse livro tem um conteúdo que é a tua cara, Picasso!
Bem... gostaria de ver a tua cara em letras. Empresta?

Ventura Picasso disse...

Oi Rita
Claro que empresto - vc me promete que não vai fazer um raio X do miolo?
Deixo em sua casa.