15.7.13

A Presidenta


"Por que, mais uma vez, a classe dominante quer nos vencer?"

E aí Barack, tudo bem?

Quem não gosta de sacanagem? A CPMF custou R$40 bilhões aos pobres; agora nos falta infraestrutura para a saúde? Hoje o crime organizado tem conta corrente, projetos custeados pelos bancos e cartão de crédito. Os criminosos não precisaram mais enterrar o dinheiro no quintal.  

A notícia falsa divulgando o fim do ‘Bolsa Família’, seria o sinal luminoso, para mobilizar a sociedade procurando desestabilizar o governo da Presidenta Dilma?

Chamo Presidenta para democratizar o português – a oposição não democratiza, demoniza! Vic Barros, da UNE, prefere ser chamada de presidenta: “Para democratizar também o português”.

A notícia que desencadeou o ódio popular, não seria suficiente para levar multidões às ruas, se não fossem dirigidos por grupos oportunistas, anônimos, interessados em assumir o governo. O MPL Movimento Passe Livre pediu passagem e foi. Valeu, virou história... 

Nas praças, um carnaval em forma de protestos, milhares de pessoas, em trio elétrico, ‘mamãe eu quero’, em busca de direitos legítimos. Descobriram que as verbas desaparecem nos Estados e Municípios, mas a culpa fica com a Presidenta.

Os que votaram contra a CPMF em dezembro de 2007, não devem protestar contra a saúde, previdência social e combate à pobreza. “Alguém notou o barateamento de alguma coisa”; porque só os bancos e traficantes notaram? 

Os membros do congresso nacional, os governadores e prefeitos, as assembléias e as câmaras de vereadores estão preocupadas com o crioulo doido do samba? Não!

Deram um tempo aguardando o resfriamento das manifestações.  A pressa é inimiga! Esse Plebiscito...

O desrespeito do legislativo a nação, nos quatro cantos do país, é norma. No congresso está a proposta de reforma política, engavetada, a mais ou menos vinte anos.

Mônica Bergamo, reconhecendo as qualidades do mineiro de BH (07/07/2013 página inteira (E2) Folha/Ilustrada): “Aécio Neves não namora mulher feia”, diz ela.  Eis a virtude política da mídia..

Voltando às ruas, o plebiscito do happy hour com cachaça, é agora ou nunca! Dilma bradando Plebiscito despertou mais de 400 deputados votantes, que não votam contra ou a favor, sem estimulantes. Quem é essa Dilma, pergunta o funcionário do jornal?

Agora já aparece o preconceito contra a mulher Presidenta. “Por ser mulher ela é manipulada etc !”, garantem os golpistas.  Que plebiscito que nada.

Na via de acesso ao terminal aéreo de Guarulhos, a maioria das pessoas bloqueadas, no fogo cruzado, coitadas estava perdendo seus voos. Era bomba de efeito moral, bala de borracha e bordoada bem distribuída.

O Geraldo vai importar lança chamas. É melhor que carro pipa jogando agua nos manifestantes. Agua não dói! O PSDB, a cavalo, quando bate arrebenta. Que saudades do Erasmo!

Passar as férias em qualquer lugar do mundo é saldável, gastar milhões em bugigangas que podem ser compradas aqui; é vaidade!

“Aguardando o nascimento de um possível herdeiro do trono inglês, a duquesa de Cambridge Kate Middleton, escolhe apenas marcas britânicas com preços módicos”.

CPMF retirou do governo em 2007, R$40 bilhões da saúde. Por ser um imposto, o governo tinha o direito de fiscalizar todas as transações financeiras, no país. Que sacanagem!

Até logo mais, Barackinho...

Ventura Picasso

2695.

2 comentários:

Célia Rangel disse...

E, vivas a Edward Snowden que tranquilamente eu daria residência oficial para ele aqui no Brasil... Ele é o cara!
Abraço,
Célia.

Ventura Picasso disse...

Julian Assange e seu informante do WikiLeaks, o soldado Manning, heróis do jornalismo e agora o Snowden nos mostra uma realidade que muitos brazucas brincalhões não avaliam o que representa para o Brasil. A CIA e a NSA são onipresentes. A ameaça que nos preocupava oferecida pela Colombia, agora tmb o Paraguai, após golpe branco contra o presidente Fernando Lugo, pleiteia, na cara dura norteamericana, a liderança dos países do mercosul. Nos falta uma cadeira no Conselho de Segurança da Onu - urgente - se o tio sam ocupar a Venezuela perderemos a amazônia.