25.11.14

Carlos Slim Helú

VENTURA PICASSO 
 
Encantado ouvindo a Orquestra Jovem Simón Bolívar interpretando a Sinfonia nº 8 de Mahler, no Festival de Salzburg sob a direção do Gustavo Dudamel quando soa o alarme do telefone.
 
— Alou!
— Boa tarde; a Embratel...
— Maldito Carlão! Bati o fone sem fio imaginando que a dona estivesse dentro do aparelho.

Fui assinante da Net por muitos anos. Certo dia, o tal Carlos Slim mandou seu funcionário ligar, representando a Embratel, oferecer um novo plano, vantajoso, para uso da minha linha telefônica. 

Aceitei. 

Quando chegou a primeira fatura da Embratel chegou minha fatura da Vivo.

Vejamos qual foi a minha surpresa: Antes das “vantagens” que me foram oferecidas pelo funcionário do Carlão, eu pagava uma conta por mês. Logo após as “vantagens” passei a pagar duas (2) contas mensais da mesma linha telefônica.

Existem leis para todas as contravenções, menos as praticadas pelo Carlos. Na página 6 do meu Estatuto do Idoso, a LEI Nº 10.741, de 1º de outubro de 2003. O Presidente da Republica avisou o mundo que lei é para ser respeitada.

A secretária do Slim Helú é uma máquina e nem quer saber de LEI. Lei ora lei! Ela não dá uma única chance de dialogar. É como a secretina do Hitler: É reta e entra mostrando a sola. Ela fala o que lhe ensinaram, ou seja, meteram-lhe na memória, não tem volta.

O telefone 21-2104.0042 chama todos os dias em qualquer horário. Cobrando o que já paguei para não ser incomodado. É sempre a mesma cantada: Pague esta fatura para retirarmos o seu nome do cadastro.

Não é possível confabular explicando que fui enganado pelo vendedor do Carlos Slim que é proprietário da Embratel. Atitude que justifica ser um dos mais ricos do mundo. 

Já pensou? Empresa Brasileira de Telecomunicações. Marca nacional! 

O escritório da Net é perto de casa. Assinava internet e na fatura havia propaganda da Embratel. Cheguei chegando: 

— Quero falar com a Embratel.
— Aqui não tem Embratel.
— Como não? Olha a propaganda na fatura.
— É só propaganda, nada temos com essa empresa.
— Tudo bem, nesse caso, cancele a minha assinatura de internet.

Cancelada a assinatura com a Net liguei a Vivo no PC. Minha pequena vingança, e se não há justiça, justiça seja feita com formato ignorante.

Ainda não me livrei da Embratel. Fui ao PROCON três vezes; Fizeram três acordos, e fomos enganados por três vezes, eu e a diretora do PROCON. 

Agora fiquei sabendo da maior novidade: Vejamos; ele é dono da Embratel, da Net e da Claro e agora quer comprar a Vivo.

Desisti do PROCON fui obrigado a contratar um advogado.

Não se deve cutucar a onça com vara curta.

A intenção desse mexicano é unicamente a de me prejudicar. Ele quer ganhar de sete a zero.

Quem vendeu a Telefônica?
Foi o Sergio Motta ou o Mendonça de Barros?

Enquanto isso, o Dudamel encerra o Festival de Salzburg, e o 21-2104.0042 está chamando...

foto – wilsongomessobral.blospot.com
 





2 comentários:

Célia Rangel disse...

Que tempos medíocres vivemos hein Ventura! Com "banda larga" e "mentes estreitas" sofremos as penúrias tecnológicas em toda navegação... E, vivas que a diferença entre ricos e pobres diminuiu, mas a "mental" continua a mesma em qualquer classe ou setor social / desenvolvimento! Pasmaceira total!
Abraço.

Ventura Picasso disse...

C´lia - Vivemos a decadência ética e moral que os meios de comunicação apregoa. Hoje vemos jornalistas e repórteres fugindo da polícia e apanhando do povo.
Se por um lado aceitamos a Polícia Militar, apesar de sermos civis, e não falamos nada, por outro estamos fartos da mídia que nos engana.
abs